Página Inicial > Áreas de Ação > Cultura > Espaços Culturais > Teatro Municipal > Ficha Técnica

Ficha Técnica

História do Teatro Municipal Sá de Miranda

O Teatro Sá de Miranda foi inaugurado no dia 29 de Abril de 1885.

A sua construção deveu-se ao esforço de um grupo de personalidades vianenses que constituiu, em 1879, a Companhia Fomentadora Vianense com o objetivo de construir um edifício civilizador.

É um Teatro à italiana projetado por José Geraldo da Silva Sardinha com a plateia em forma de ferradura e três ordens de camarotes, com capacidade de 390 lugares.

O Pano de Boca foi desenhado por Luigi Manini e pintado por Hercole Labertini, cenógrafos do Teatro S. Carlos e o teto, uma imagem do céu em trompe l´oeil, com retratos de dramaturgos, foi pintado por João Baptista do Rio.

Este Teatro, verdadeiro ex-libris da cultura vianense e alto-minhota, tem acolhido os mais importantes espetáculos de Música, Teatro, Ópera, Dança e Cinema da região.

A Câmara Municipal adquiriu o edifício em 1985, numa altura em que a sua degradação se acentuava. Desde então tem promovido obras de beneficiação, em 1993, dando segurança e comodidade ao público, em 2019, o Município concluiu uma outra empreitada de requalificação do Teatro Municipal Sá de Miranda, num investimento de 150 mil euros que incluiu, no exterior, o tratamento e pintura de todas as fachadas, incluindo caixa de palco; o tratamento e pintura de toda a caixilharia pelo exterior e interior; a substituição de caleiro interior orientado a norte, na cobertura; bem como obras de conservação no interior do segundo piso. O Teatro Municipal Sá de Miranda entra assim no ano 2000 renovando e alargando o seu papel fundamental na vida cultural vianense.

A 9 de setembro de 2021, o Teatro Municipal Sá de Miranda foi integrado na Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses (RTCP) por despacho da Ministra da Cultura.

A Direção Geral das Artes manifesta “o seu apreço pela credenciação do Teatro Municipal Sá de Miranda neste importante e decisivo momento de concretização de uma política pública no domínio da cultura e das artes, que se pretende que tenha um impacto estruturante em todo o território nacional”.