Página Inicial > Notícias > Viana do...Decorativas

Viana do Castelo quer que seis pirogas propostas para classificação como “tesouro nacional” sejam instaladas no Museu de Artes Decorativas

12 Março 2020

O Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo reforçou a vontade de ver regressar ao concelho as seis pirogas monóxilas provenientes de recolha arqueológica subaquática, realizada no rio Lima, alvo de proposta de classificação como conjunto de interesse nacional (CIN) com a designação de “tesouro nacional”. Na reunião de executivo de hoje, José Maria Costa indicou que a autarquia está a elaborar o projeto de ampliação do Museu de Artes Decorativas, que inclui uma sala para acolher as pirogas.


O executivo da Câmara Municipal aprovou, por unanimidade, uma pronúncia onde se congratula com a proposta de classificação das seis pirogas monóxilas, encontradas no rio Lima, “por a mesma constituir um reconhecimento público do enorme valor histórico, artístico e científico deste património, para além de reconhecer o modo como o mar e os rios influenciam a identidade cultural nacional e local e o posicionamento estratégico de Viana do Castelo”.


Na pronúncia, acrescenta-se que, “aquando da visita ao Museu de Artes Decorativas de Viana do Castelo, do então Sr. Ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, em agosto de 2018, foi concertado que o Município de Viana do Castelo se comprometia a preparar instalações condignas para acolher da melhor forma as pirogas monóxilas e o Ministério da Cultura providenciaria no sentido de que as mesmas regressassem a Viana do Castelo, quando esse desiderato se encontrasse cumprido”.


Recorde-se que a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) propôs ao Governo a classificação de seis pirogas encontradas no rio Lima, em Viana do Castelo, como Conjunto de Interesse Nacional, com a designação de "tesouro nacional". De acordo com anúncio publicado em Diário da República (DR), a proposta de classificação foi remetida à Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural.


“As pirogas monóxilas são embarcações feitas a partir de um tronco de árvore, escavado para o efeito, e são conhecidas, na Europa, desde o período neolítico. No concelho de Viana do Castelo, mais propriamente, no leito do rio Lima, foram encontradas seis pirogas monóxilas que assumem grande importância para a comunidade científica, sobretudo ao nível da arqueologia subaquática, quer portuguesa, quer internacional”, lê-se na pronúncia.


As pirogas encontram-se numeradas de 1 a 6, de acordo com a sequência em que foram encontradas, provêm sobretudo do Lugar da Passagem (na altura, freguesia de Moreira de Geraz do Lima), Lugar da Passagem (Lanheses) e Mazarefes, e datam dos séculos IV/III a.C. (Idade do Ferro), dos séculos VIII/IX (Período da Reconquista) e século XI (Idade Média).