Página Inicial > Notícias > Viana do...até 2020

Viana do Castelo quer entrar no ‘top 10’ das exportações nacionais até 2020

23 Julho 2018

O município de Viana do Castelo quer entrar no ‘top ten’ das exportações nacionais até 2020, ano em que o concelho deverá exportar mais de 1.000 milhões de euros, correspondendo 30% ao cluster eólico, 30% setor do papel e 40% ao setor automóvel. A garantia foi dada pelo Presidente da Câmara Municipal, José Maria Costa, durante a inauguração da segunda fase da Eurostyle no Parque Industrial de Lanheses, numa cerimónia que contou com a presença do Primeiro-Ministro, António Costa.


O autarca reforçou que Viana do Castelo tem vindo a afirmar-se como um concelho de forte acolhimento empresarial e exportador, tendo atingido em 2017 os 831 milhões de euros de exportações, o que coloca o município em 16º lugar no ranking nacional, correspondendo a 1,5% das exportações nacionais.


O Município investiu, em 2017 e 2018, cerca de 9,1 milhões de euros em aquisição de terrenos e obras de infraestruturação de áreas empresariais para acolher novas empresas no concelho. O investimento em curso em 9 novas indústrias em Viana do Castelo é de 230 milhões de euros, sendo que o investimento do setor automóvel é de 132 milhões de euros, prevendo-se até ao final de 2019 a criação de 1600 empregos.


O Primeiro-Ministro referiu que a Câmara Municipal de Viana Castelo tem sido absolutamente exemplar no trabalho que tem vindo a desenvolver com criação de um conjunto muito significativo de zonas industriais, assegurando que o concelho é um território preparado para acolher e valorizar investimento.


António Costa realçou o trabalho que tem vindo a ser feito na região e, em particular, na Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho para a formação e qualificação de recursos humanos.


A inauguração da segunda fase da Eurostyle Systems representou um investimento de 27 milhões de euros e vai permitir a criação de 350 postos de trabalho no Parque Empresarial de Lanheses, fazendo parte do Cluster Automóvel.


A primeira fase do empreendimento industrial da multinacional francesa do setor automóvel, que produz essencialmente peças injetadas de plástico para componentes da indústria automóvel, foi assim ampliada em 12,7 mil metros quadrados, pelo que a unidade passa a totalizar uma área produtiva e de armazenagem de 18,8 mil metros quadrados. Com esta ampliação, a empresa garante a duplicação da capacidade de produção, passando a faturar cerca de 50 milhões de euros. A Eurostyle é a Divisão de Sistemas Plásticos do Grupo GMD, com produção destinada aos mercados nacional e internacional.