Página Inicial > Notícias > Sessão Solene...de Miranda

Sessão Solene Comemorativa do Dia da Cidade encheu Teatro Municipal Sá de Miranda

21 Janeiro 2015

A Câmara Municipal de Viana do Castelo homenageou ontem individualidades ligadas ao mundo da desporto, cultura, artes, solidariedade social, educação e do mundo empresarial na sessão solene comemorativa dos 167 anos da cidade. Na sessão, o presidente da Câmara Municipal elogiou os homenageados e lembrou que o seu testemunho é “fortemente inspirador para nós, para as instituições e para os nossos jovens”.
No seu discurso, José Maria Costa sublinhou que os homenageados da noite demonstram a “certeza de que a nossa cidade, o nosso concelho, e o nosso país têm futuro. Eles, de certa forma, iluminaram o passado e o presente nos momentos de pouca luz, de incertezas, de indefinições, de desânimo ou até de alegrias”, acrescentando que “as suas vidas, as suas obras, as suas intervenções, o seu trabalho desde o domínio da educação, cultura e das artes, da economia, do desporto com talentos invejáveis, com ações impensáveis, com determinação e persistência arrepiantes, mostraram que a vida se faz com música, com arte, beleza, com originalidade, com sacrifício, com solidariedade, com estudo e acima de tudo com muito amor”.
“Constituem estes cidadãos e instituições marcas e referências indeléveis de que apesar das dificuldades económicas e financeiras em que nos encontramos como país, quer ao nível nacional, quer ao nível europeu, nos dão alento, energia e esperança no futuro”, lembrou ainda, fazendo uma analogia entre os tempos vividos no reinado de d. Maria II, que elevou Viana do Castelo a cidade, e os dias de hoje. “Curiosamente ocorria uma situação também muito confusa e até trágica quer em Portugal, quer na Europa, no tempo do Reinado de D. Maria II, coisas da História que por vezes teima em repetir-se”, evidenciou.
Para José Maria Costa, a Europa “e as suas instituições continuam a falar numa linguagem que parece ter pouco a ver com a realidade (brincando um pouco diz-se em muitos círculos que falam Bruxelês). Nas suas capitais, os interesses mais imediatos, por vezes de conjuntura de ratings quer sejam económicos ou de audiências políticas, parecem esmagar qualquer sentido europeu. Renascem os antigos e novos nacionalismos, assiste-se a uma presença cada vez mais asfixiante da economia e finanças, que são traduzidas em tratados orçamentais, programas de estabilidade, austeridade, austeridade e austeridade. Recentemente apareceram também focos de terrorismo preocupantes e até potenciadores de reduções de direitos, liberdades e garantias”.
“Pois, a juntarmos a estas realidades externas temos os nossos indicadores nacionais de aumento galopante da dívida pública, dos indicadores de aumento da pobreza com impactos colaterais violentos na pobreza e exclusão infantil, do número de insolvências das famílias, o triplo das insolvências das empresas, a injusta emigração jovem e até menos jovem que ultrapassa com larga margem os números da imigração sentida na década de sessenta”, lembrou ainda, denunciando a sua convicção de que é necessário “um debate inadiável, para um reencantamento com uma europa que afaste de vez o espetro da tragédia e nos coloque definitivamente no caminho do futuro, em que os nossos jovens não sejam obrigados a imigrar, deixando cicatrizes profundas no tecido social, económico e cultural do país que dificilmente serão saradas”.

Os títulos honoríficos:
A sessão solene agraciou com o título de Cidadão de Honra João Alves Cerqueira (a título póstumo), José Luís Oliveira (a título póstumo), José Veiga Torres, Maria Adelina Bandeira Correia, Maria Manuela Castro Machado, Tiago Cardoso Mendes, atribuiu o título de Cidadão de Honra a Amândio Passos Silva, António Rodrigues Fernandes, Cândido de Oliveira Lima, Eduardo Calvet de Magalhães, Ermelinda Maria Domingues Cadilha da Guia, Francisco Ramos de Sá, Isilda Parente, Joaquim Rui Gonçalves Pinto, José Correia Lomba, Manuel Codeço e Manuel Rodrigues Sousa Basto.
No que toca a instituições de mérito, foram agraciados a Associação Juventude de Viana, Centro Cultural do Alto Minho, Centro Paroquial de Promoção Social e Cultural de Darque, Centro Social e Paroquial de S. Romão do Neiva, Clube de Vela de Viana do Castelo, Confeitaria A Brasileira, Cooperativa Agrícola de Viana do Castelo, Grupo Desportivo do Centro Paroquial de Santa Marta do Portuzelo, Grupo Folclórico Cultural Danças e Cantares de Carreço, Grupo Folclórico Estrelas do Minho de Buenos Aires, J. Dinis e Fºs, Lda, Pastelaria Dantas, Vianapesca, CRL – Cooperativa de Produtores de Peixe de Viana do Castelo e Vianatece, Artesanato e Tecelagem, Lda .


Gabinete de Imprensa
Câmara Municipal de Viana do Castelo