Página Inicial > Notícias > Prémio de...Miguel Falcão

Prémio de Teatro Lucilo Valdez: Apresentado livro “Os últimos anos do Homem-Celha” de Miguel Falcão

26 Julho 2021

No âmbito da Feira do Livro de Viana do Castelo foi apresentada, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal, a obra “Os últimos anos do Homem-Celha”, de Miguel Falcão, vencedor da 1ª edição do Prémio Lucilo Valdez, promovido pela Câmara Municipal.


Miguel Falcão (n. 1969, Lisboa) é doutorado em Estudos de Teatro (2006). Professor Coordenador na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Lisboa, coordena a Área de Teatro (desde 2008), o Mestrado em Educação Artística – especialização em Artes Plásticas e Teatro – e as Pós-graduações em Animação de Histórias e em Marionetas e Formas Animadas. É também investigador no Centro de Estudos de Teatro da Faculdade de Letras da Unidade de Lisboa. Privilegia o desenvolvimento de estudos nos domínios da História do Teatro, do Teatro de Marionetas, da Educação Artística e do Teatro na Educação.


Publicou, entre outras obras, “Espelho de ver por dentro – O percurso teatro de Alves Redor”, “Marionetas e Formas Animadas: Teorias e Práticas” e “Arquimedes da Silva Santos: um homem (fora) do seu tempo”.


Tem desenvolvimento pontualmente atividades no âmbito da criação e da programação artísticas e, no campo da dramaturgia, recebeu o Prémio de Teatro Lucilo Valdez (2020), atribuído pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, pela peça “Os últimos anos do Homem-Celha”.


O texto “Os últimos anos do Homem – Celha” sobressaiu do conjunto de textos a concurso pela sua estranheza, capacidade de emocionar, contenção dos diálogos, forma harmoniosa como se desenrola a narrativa, força dos personagens, forma de tratar um tema que é universal e ao mesmo tempo simples e poético e que trata de algo tão tocante como a “doença da felicidade súbita”.


O Prémio de Teatro Lucilo Valdez destina-se a galardoar um autor, de nacionalidade portuguesa, da melhor obra na vertente do texto de dramaturgia, visando estimular a criação literária e o aparecimento de novos autores, assim como reforçar a arte cénica e promover o gosto pela fruição e prática artística na área do teatro.