Página Inicial > Notícias > Obras da...das escolas

Obras da Escola Básica e Secundária de Monte da Ola representam “nova vaga de expansão” na requalificação das escolas

17 Junho 2019

O Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, marcou presença na assinatura do acordo de colaboração que vai permitir obras de 1,5 milhões de euros na Escola Básica e Secundária de Monte da Ola, na freguesia de Vila Nova de Anha, tendo assumido “orgulho” em iniciar no Alto Minho uma “nova vaga de expansão da requalificação das escolas”.


Na cerimónia foi assinado o acordo entre o Ministério da Educação e a Câmara Municipal de Viana do Castelo que vai permitir a requalificação da escola sede do mega-agrupamento do Monte da Ola. O governante assumiu que era um dia “muito feliz” e garantiu ter “muito orgulho, como ministro da República, natural do Alto Minho, de estar a iniciar aqui uma nova vaga de expansão das escolas portuguesas” que representa “um Portugal em progresso”.


A escola de Monte da Ola conta com 557 alunos distribuídos por turmas do 2.º e 3.º ciclos de ensino básico, e ensino secundário. Do investimento previsto, 1 milhão de euros será comparticipado por fundos comunitários através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).


Já o autarca vianense, José Maria Costa, retribuiu a “prenda” oferecida por Tiago Brandão Rodrigues com outra “prenda”, que considerou ser a aprovação, pelo executivo municipal, da transferência de competências na área da Educação. O edil assegurou ainda que esta empreitada de requalificação vem reforçar a “excelência do trabalho promovido pelo Agrupamento”, assegurando que a assinatura deste acordo de colaboração fez sentir “um perfume diferente, um perfume a futuro”.


Também a diretora do Agrupamento de Escolas de Monte da Ola, Conceição Rabaçal Fernandes, destacou a importância desta empreitada, afirmando que, em 32 anos de história da escola, esta será a primeira intervenção. “É uma obra que premeia o dinamismo da escola e é necessário para o conforto dos alunos. O modelo antigo da escola cria muitas dificuldades em termos de conforto térmico. É uma escola muito fria no inverno e muito quente no verão e que ainda tem placas de fibrocimento. Esta é uma obra muito importante para toda a gente”, frisou.