Página Inicial > Notícias > Empréstimo...Praça Viana

Empréstimo garante requalificação da EB 2,3S Monte da Ola, do Quartel dos Bombeiros e refuncionalização da Praça Viana

03 Março 2020

A Assembleia Municipal de Viana do Castelo aprovou o investimento a ser financiado por empréstimo de médio e longo prazo, no valor de 3,882 milhões de euros, que inclui a requalificação da EB 2,3S Monte da Ola, do quartel dos Bombeiros Municipal e a refuncionalização da Praça Viana, entre outras empreitadas.


Em 2020 e 2021, o Município pretende realizar um conjunto de obras de construção e reabilitação de vários edifícios e equipamentos municipais, o que justificou a contração do empréstimo, a doze anos, a ser executado em dois anos.


A Câmara Municipal avança, assim, com a "Requalificação/Ampliação da EB 2,3S Monte da Ola", ao nível das salas de aulas e da cantina escolar, melhorando as condições térmicas e acústicas, mantendo os níveis de qualidade do parque escolar e melhorando as condições de trabalho de toda a comunidade educativa.


Avança ainda a "Construção da Casa Mortuária", equipamento necessário para garantir as condições adequadas para realização dos serviços fúnebres da área urbana da cidade de Viana do Castelo.


A autarquia avança ainda com a "Reabilitação e Refuncionalização da Praça de Viana", dotando-a de condições que permitam a utilização deste equipamento, nomeadamente na prática desportiva.


O empréstimo permite ainda a construção da "Passagem Inferior de Carreço", que irá contribuir significativamente para o aumento da segurança e mobilidade da população local.


Também a ampliação do "Quartel Bombeiros Municipais", investimento que irá dotar o atual quartel das condições necessárias para acomodar as novas valências da Proteção Civil Municipal, será promovida nestes dois anos.


O Município de Viana do Castelo tem ao longo dos últimos anos pautado a sua atuação pelo equilíbrio financeiro, através de uma gestão rigorosa que lhe tem permitido responder aos grandes desafios da atividade municipal e assegurar a comparticipação nacional das obras financiadas pelos Fundos Comunitários.