Página Inicial > Notícias > Comunidade...porto de mar

Comunidade Portuária defende acessibilidades ao porto de mar

11 Fevereiro 2014

A Comunidade Portuária, a Administração Portuária e a Câmara Municipal de Viana do Castelo vão enviar ao Secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações, ao Presidente da CCDR-Norte e ao Grupo de Trabalho para as Infraestruturas de Elevado Valor Acrescentado um memorando onde pedem que sejam priorizadas as acessibilidades marítimas ao porto de mar, os meios de elevação do porto comercial e os acessos rodoviários ao porto de Viana do Castelo.

Numa reunião que decorreu ontem ao fim do dia para analisar o Relatório Final do Grupo de Trabalho para as Infraestruturas de Elevado Valor Acrescentado, que se encontra em discussão pública e onde se verifica que os acessos rodoviários ao porto comercial, que neste momento é um porto exportador, não correspondem à importância e ao valor estratégico desta infraestrutura portuária no contexto da Região Norte, foi decidido enviar um memorandum conjunto da Comunidade Portuária e da Câmara Municipal sobre os futuros investimentos a serem executados.

Assim, a Comunidade Portuária do Porto de Viana do Castelo, a Administração Portuária e a Câmara Municipal de Viana do Castelo entendem que devem ser enfatizados e priorizados no referido estudo as acessibilidades marítimas ao Porto de Viana do Castelo; os meios de elevação do Porto Comercial; e os acessos Rodoviários ao porto de Viana do Castelo.

O documento lembra que o porto de Mar de Viana do Castelo, infraestrutura marítimo-portuária com uma capacidade instalada para movimentar cerca de 900.000 toneladas de carga por ano, é o elemento âncora para o desenvolvimento da região de Viana do Castelo e se assume como a plataforma de internacionalização do tecido económico desta região, sendo fator de atratividade de novas empresas e indústrias para o Alto Minho.

“Os acessos rodoviários são fundamentais para o reforço da capacidade operacional e para garantir o crescente aumento de movimento do porto comercial de Viana do Castelo, em especial nas exportações, derivado da dinâmica comercial da EUROPAC (fábrica de papel), ENERCON (fábrica de aerogeradores eólicos), da atividade da nova fábrica de cabos marítimos EURONET e ainda da carga e descarga de diversos graneis sólidos”, explicam ainda.

De sublinhar que o novo acesso rodoviário, que vai ligar o Porto de Viana ao nó da A28, Zona Industrial de São Romão de Neiva e de Alvarães, além de retirar da antiga EN 13 o tráfego de pesados pelo interior de vias urbanas de e para o porto. O projeto de execução desta obra, que orça em cerca de 9 milhões de euros, está concluído desde 2008, estando também, grande parte das expropriações dos terrenos necessários à obra já efetuadas, aguardando-se apenas a aprovação de uma candidatura a fundos comunitários para se proceder à sua execução.

Gabinete de Imprensa
Câmara Municipal de Viana do Castelo