Página Inicial > Notícias > Cerca de...Festas d'Agonia

Cerca de um milhão nas Festas d'Agonia

25 Agosto 2009

A Rainha das Romarias, que terminou no passado domingo, registou a maior afluência de sempre, contabilizando cerca de um milhão de visitantes. As contas da organização demonstram a atracção dos vianenses e forasteiros pelos vários números da romaria em honra de Nossa Senhora da Agonia que, ano após ano, tem vindo a registar cada vez mais visitantes.

 Nos quatro dias em que a cidade de Viana do Castelo foi a montra das tradições, costumes e fé das quarenta freguesias do concelho, o programa da festa foi semelhante aos anteriores. A romaria começou na noite de quarta-feira (véspera do feriado municipal) com a confecção dos tapetes floridos das ruas da Ribeira, onde o bairrismo das suas gentes se transformou em saudáveis competições pelo melhor tapete. A noite, que se fez de festa, prolongou-se até à hora da procissão ao mar e ao rio, com os barcos das gentes da Ribeira engalanados a acompanharem a Senhora d’Agonia na sua saída pelo rio Lima e no regresso pelas ruas atapetadas e decoradas pelos moradores. À noite, a Praça da Liberdade encheu-se para ouvir Augusto Canário e os sons das concertinas tradicionais de Viana do Castelo.

Na sexta-feira, o destaque foi para o desfile da mordomia, que este ano incluiu um coração gigante na Praça da Liberdade composto por cerca de quatrocentas mordomas que integraram o desfile da mordomia. De seguida, a Revista de Gigantones e Cabeçudos encheu, tal como nos dias seguintes da romaria, de ruidosos sons a Praça da República, naquela que é sempre uma das maiores atracções dos visitantes, pouco habituados ao rufar intenso e a “despique” dos Grupos de Zés P’reiras”. Ao cair da noite, ouvir-se “Havemos de Ir a Viana” imortalizado por Amália Rodrigues pelas bandas de música que integraram o já muito apreciado “Vamos para a Festa”, um desfile com os grupos folclóricos que desceu a Avenida dos Combatentes da Grande Guerra em direcção ao jardim marginal, onde actuaram os grupos etnográficos.

No sábado, o Cortejo Etnográfico fez uma retrospectiva das Comemorações dos 750 Anos do Município, onde não faltaram as memórias e as emoções dos vários eventos desta efeméride, como a abertura da igreja das Almas, da Biblioteca Municipal e do Museu do Traje, as edições camarárias, os 750 sabores do bacalhau, os selos, postais, medalhas e azulejos dos monumentos de Viana do Castelo ou a homenagem das cidades geminadas. A noite foi dedicada à Festa do Traje no Castelo de Santiago da Barra, onde se encenaram episódios e se explicaram as formas de vestir da “lavradeira”, “mordoma” e “Noiva” e os trajes de Viana do Castelo.

No último dia de festa, o destaque foi o genuíno Festival de Concertinas e Cantares ao desafio durante a tarde, onde dezenas de tocadores de concertinas e cantores animaram a tarde no jardim público da cidade. À noite, “Vamos para a Serenata” com os Zés P’reiras, bombos, bandas de música e grupos folclóricos animou a noite, que terminou em grande com a maravilhosa Serenata no Rio Lima com fogo-de-artifício a descer da Ponte Eiffel e a surgir do rio Lima.

 

Viana do Castelo, 25 de Agosto de 2009

 

Gabinete de Imprensa

Câmara Municipal de Viana do Castelo