Página Inicial > Notícias > Câmara Municipal...sua morte

Câmara Municipal evoca Amadeu Costa no dia em que se assinalam 22 anos da sua morte

30 Março 2021

A Câmara Municipal de Viana do Castelo evoca Amadeu Costa esta terça-feira, dia 30 de março, na data em que se assinalam os 22 anos do seu falecimento. Através das redes sociais, o Município apresenta a exposição temporária "Amadeu Costa – Centenário do Nascimento", patente no Museu do Traje, que poderá voltar a ser visitada já a partir da próxima semana.


A exposição inclui a pintura “Retrato de Amadeu Costa”, da autoria de Salvador Vieira, que a família ofereceu ao Município de Viana do Castelo. A obra, com 150x120cm de dimensão, integra a coleção de pintura do Museu de Artes Decorativas, mas ficou, enquanto decorrer a exposição temporária, patente no Museu do Traje.


Também voltará a ser possível visitar, a partir de 5 de abril, o “Salão Amadeu Costa”, no Teatro Municipal Sá de Miranda, que conta com uma exposição sobre a atividade que o etnógrafo promoveu ligada ao teatro vianense.

No dia 21 de abril, às 18h00, será apresentado no Teatro Municipal Sá de Miranda o livro “Com Amadeu Costa no centenário do seu nascimento”.


Recorde-se que a autarquia, com o objetivo de “perpetuar o espírito, a obra e o amor de Amadeu Costa na preservação e valorização da cultura tradicional de Viana do Castelo”, para promover a leitura das suas obras e para aprofundar o conhecimento das tradições e romarias do concelho, está a criar o Prémio Amadeu Costa, que será promovido anualmente e irá distinguir trabalhos realizados por alunos do ensino secundário e universitário no âmbito dos “Usos e Costumes, artes e tradições vianenses” e “Romaria da Senhora d’Agonia”. O regulamento do concurso será apresentado em breve.


Amadeu Alberto Lima da Costa foi etnógrafo, investigador e dinamizador cultural. É uma figura incontornável da cultura tradicional de Viana do Castelo pelo estudo e divulgação que dela realizou ao longo de toda a sua vida. Sempre assumiu o seu amor pela divulgação dos usos e costumes locais, mormente o traje à vianesa, além da organização das Festas em Honra de Nossa Senhora da Agonia, que ajudou a promover durante cerca de trinta anos, enquanto membro da Comissão de Festas.


Nasceu a 23 de outubro de 1920 e faleceu em 30 de março de 1999, em Viana do Castelo. Nascido no bairro da Ribeira, na Rua do Loureiro, troço atualmente denominado Rua Monsenhor Daniel Machado, foi um incansável lutador pela criação de um museu dedicado ao traje regional em Viana do Castelo. No momento da aquisição do edifício do Banco de Portugal para a instalação desse Museu, em 1996, foi ele que organizou a exposição Traje Regional, a primeira que aí se realizou. Também por esta razão, o Museu atribuiu a uma das suas salas o nome de Galeria Amadeu Costa.


Falecido em 1999, a família, num ato de generosidade, estabeleceu com a autarquia vianense um protocolo de doação de uma valiosa coleção de trajes que pertenciam a Amadeu Costa ao Museu do Traje. Esta doação incluiu 750 peças e 53 de trajes completos, incluindo algibeiras, aventais, saias, coletes, casacas, camisas, lenços, calçado, meias, toalhas e trajes de homem e mulher, enriquecendo o património do espaço museológico.


Como profissão principal tinha a de técnico de contas. Trabalhou, enquanto estudante, no jornal “A Aurora do Lima”, onde deu os primeiros passos no jornalismo. Nos anos 1960/70, foi correspondente dos jornais lisboetas "O Diário de Lisboa" e" A Capital". Nos anos 1950/60, esteve ligado à Fábrica de Louça da Meadela. Nesse período de grande criatividade e renovação da cerâmica aí produzida, supervisionou as mostras organizadas com grande êxito em diversos locais do país.


Calígrafo iluminador, executou vários pergaminhos, alguns em parceria com Araújo Soares, destinados a entidades diversas, entre elas a Presidência da República Portuguesa e a Rainha Isabel II de Inglaterra.


Foi condecorado por imensas instituições, destacando-se a medalha de ouro da cidade de Viana do Castelo, com a qual foi agraciado em 1989.