Página Inicial > Notícias > Câmara Municipal...Couto Viana

Câmara Municipal aprovou voto de pesar pelo falecimento de Couto Viana

17 Junho 2010

coutovianaA Câmara Municipal de Viana do Castelo aprovou, na última reunião de executivo, um voto de pesar pelo falecimento de António Manuel Couto Viana, no passado dia 08 de Junho em Lisboa. No documento, o Município expressa o seu “mais profundo pesar e grande consternação” pelo desaparecimento de uma “figura incontornável da cultura vianense e nacional”.

 “Pelo seu percurso ímpar, pelo seu enorme contributo para as artes e para a cultura vianenses e nacionais, António Manuel Couto Viana foi uma figura notável do concelho e do país, e o seu desaparecimento deixa-nos a todos mais pobres”, refere o voto de pesar, lembrando as diversas iniciativas para homenagear o escritor: como Cidadão de Mérito Cultural e com a designação de uma das salas da nova Biblioteca Municipal com o seu nome, em homenagem ao ilustre escritor e, também, ao seu Pai e Irmãs, igualmente escritores.

 António Manuel Couto Viana nasceu a 24 de Janeiro de 1923, em Viana do Castelo, e faleceu a 8 de Junho de 2010, em Lisboa, com 87 anos. Reformou-se como Mestre de Cena do Teatro S. Carlos, foi poeta, contista, dramaturgo, ensaísta, memorialista e autor de livros para crianças, contando a sua obra com mais de uma centena de títulos.

A sua estreia literária deu-se em 1948 com o livro de poemas O Avestruz Lírico, mas já escrevia desde 1943, em jornais locais de Viana, Braga, Valença e Lisboa. Entre 1949 e 1951, dirigiu a revista infanto-juvenil Camarada, tendo dirigido com David Mourão Ferreira, Luíz de Macedo e Alberto de Lacerda os cadernos de poesia Távola Redonda, e mais tarde, entre 1956-1957, a revista de cultura Graal. Fez ainda parte do conselho de redacção da revista Tempo Presente, entre 1959 e 1961.

Interessou-se pelo teatro desde cedo, tendo colaborado como actor, cenógrafo, encenador e empresário em várias companhias. Por intermédio de David Mourão-Ferreira estreou-se como actor e figurinista em 1946 no Teatro Estúdio do Salitre, em Lisboa, mas já anteriormente tinha dado os primeiros passos no teatro de família, o Teatro Sá de Miranda, em Viana do Castelo.

Fez parte da direcção do Teatro de Ensaio, da Companhia Nacional de Teatro, foi director do Teatro do Gerifalto, companhia onde se estrearam nomes como Rui Mendes ou Morais e Castro e encenou óperas para o Círculo Portuense de Ópera e Companhia Portuguesa de Ópera. Foi, também, orientador artístico da Oficina de Teatro da Universidade de Coimbra

Viveu dois anos em Macau, entre 1986 e 1988, onde foi docente do Instituto Cultural. O último livro de António Manuel Couto Viana, foi um volume de contos pícaros com o título 'Que é que eu tenho, Maria Arnalda?', publicado em Setembro de 2009.

Tem mais de uma centena de livros publicados, muitos deles premiados e a sua poesia está traduzida em francês, inglês, espanhol e chinês alemão e russo. António Manuel Couto Viana foi condecorado com a Banda da Cruz de Mérito, com medalha de Mérito Cultural da Cidade de Viana do Castelo, tendo recebido a Grão Cruz da Falange Galega e o Grande Oficialato da Ordem do Infante D. Henrique.

 

Viana do Castelo, 17 de Junho de 2010

Gabinete de Imprensa

Câmara Municipal de Viana do Castelo