Página Inicial > Notícias > Câmara...naturais locais

Câmara Municipal aprovou por unanimidade processo de classificação de 10 geossítios como monumentos naturais locais

30 Setembro 2016

A Câmara Municipal de Viana do Castelo aprovou ontem, por unanimidade, a classificação de mais dez geossítios como monumentos naturais locais. Esta classificação do inventário de património geológico do concelho é feita no âmbito da segunda fase de implementação do projeto Geoparque Litoral de Viana do Castelo, que já integra 5 geossítios classificados.

O processo de classificação na Categorias e Tipologia de Áreas Protegidas Monumento Natural Local agrega assim dez geossítios para integrar oito novos monumentos naturais identificados durante a segunda (de um conjunto de três fases). Em causa estão os pavimentos graníticos da Gatenha entre a zona infralitoral e as veigas de Afife com 27 hectares; as Cascatas do Poço Negro na Areosa com 52 hectares; as Cascatas da Ferida Má no rio Âncora entre a Montaria e Amonde com 36 hectares; o Penedo Furado do Monte da Meadela na encosta de Santa Luzia com 13 hectares; as turfeiras das Chãs de Arga com 591 hectares; o Planalto Granítico das Chãs de Santa Luzia com 908 hectares (e considerado de grande valor paisagístico e ecológico); as Cristas quartzíticas do Campo Mineiro de Folgadoiro-Verdes em Amonde com 1025 hectares; e as Dunas trepadoras do Faro de Anha com 57 hectares.

De lembrar que, na primeira fase, foram classificados o Alcantilado de Montedor (55 hectares), Pedras Ruivas (24 hectares), Canto Marinho (58 hectares), Ribeira de Anha (41 hectares), o estuário do rio Lima (entre as pontes Eiffel e a A28) e as “Ínsuas do Lima” (422 hectares). São assim cinco os geossítios de “excecionalidade científica dos valores geológicos presentes”, que se distribuem pela faixa litoral do concelho e no estuário do rio Lima, que integram o Geoparque Litoral de Viana do Castelo.

E, pelo trabalho desenvolvido, a Câmara Municipal recebeu o Prémio Geoconservação 2016 atribuído pelo grupo português da ProGEO, a Associação Europeia para a Conservação do Património Geológico. O Prémio Geoconservação é, desde 2004, uma iniciativa da ProGEO-Portugal que pretende destacar os trabalhos desenvolvidos pelas autarquias na conservação e promoção do património geológico dos respetivos concelhos. O júri foi constituído por representantes da ProGEO-Portugal, da Associação Portuguesa de Geólogos, do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e da National Geographic-Portugal.

Os geossítios e o Geoparque nasceram de uma investigação da Universidade do Minho, liderada por Ricardo Jorge Carvalhido.


Gabinete de Imprensa
Câmara Municipal de Viana do Castelo