Página Inicial > Notícias > Autarca apresentou...Santa Luzia

Autarca apresentou em Paris projeto de preservação dos garranos nas serras de Arga e Santa Luzia

24 Janeiro 2020

O Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo participou numa conferência dedicada às Artes e Ciências da Equitação, onde apresentou o projeto de proteção e preservação dos garranos. Por ocasião dos 100 anos dos portugueses na Sorbonne, o encontro visa discutir os projetos de conservação da biodiversidade em Portugal, com destaque para os equinos, com a participação da Universidade de Kyoto e Universidade Sorbonne Nouvelle.


Recorde-se que o projeto “Percursos do Homem e do Garrano”, financiado pelo Norte 2020 - Património Natural, foi desenvolvido pelo Município de Viana do Castelo ao longo dos últimos anos através da implementação de diversas ações e iniciativas, com o objetivo de valorizar esta raça autóctone e aumentar a visitação turística das áreas classificadas da Rede Natura 2000, através da expansão e diversificação de modalidades da rede de percursos de natureza. Neste contexto, ficou definido que estudantes da Universidade da Sorbonne vêm fazer um curso de verão a Viana do Castelo, para conhecer o projeto local.


Foram, recorde-se, criados três percursos equestres e um novo trilho pedestre, com interpretação conjugada do património natural e histórico-cultural, valorizando o caráter único do seu mosaico paisagístico. Estes percursos representaram ainda novas oportunidades para as empresas de Turismo de natureza, Turismo em espaço rural e Touring cultural e paisagístico.


Em paralelo, pretendeu-se contribuir para o reconhecimento do garrano como raça autóctone e as serras de Arga e de Santa Luzia como espaço privilegiado para a sua observação. Procurou-se ainda incrementar a informação das populações locais sobre o valor cultural e natural do garrano, através de ações de educação ambiental e de divulgação.


Neste âmbito, Viana do Castelo integra um projeto mais vasto, que associa a Universidade da Sorbonne, a Universidade de Kyoto e a Universidade de Coimbra, parceiros científicos que irão continuar a desenvolver trabalho de investigação neste território. A projeção da importância do garrano nas suas múltiplas dimensões necessita de estudos científicos profundos e contínuos, de um debate alargado, da criação de redes de cooperação interinstitucionais e da aposta em ações de divulgação, sensibilização e demonstração que promovam as qualidades e apetências da raça.


Os garranos são animais de pequena estatura, com peso aproximado de 290 quilos, de perfil de cabeça reto ou côncavo, cabeça fina e grande, principalmente nos machos, onde se destacam amplas narinas. O pescoço curto é bem musculado, a garupa é forte e larga e os membros são pequenos e fortes. A pelagem é castanho-escura, sendo a crina e a cauda pretas e muito densas. Embora não apresente manchas, pode ter tons mais claros no focinho, ventre e membros.


Sendo o garrano um cavalo pequeno, apresenta uma sólida estrutura e andamento curto, transmitindo uma elevada segurança, típica de um animal habituado a enfrentar caminhos íngremes e pedregosos. Tal como outros cavalos de pequena estatura, o garrano apresenta um andamento artificial, denominado de andadura.