Página Inicial > Notícias > Aulas de...do Castelo

Aulas de português para estrangeiros abrangem 120 pessoas de 20 nacionalidades em Viana do Castelo

30 Setembro 2022

A Câmara Municipal de Viana do Castelo iniciou as aulas gratuitas de português para migrantes, que estão já a abranger mais de 120 pessoas de cerca de 20 nacionalidades. As aulas são lecionadas por 10 professores voluntários, que têm como “alunos” principalmente cidadãos de Itália, Reino Unido, Colômbia, Venezuela, Espanha e França.


As inscrições decorrem presencialmente no Edifício Vila Rosa ou através do email pmim@cm-viana-castelo.pt .


No âmbito das políticas locais de acolhimento e integração de migrantes, o Município de Viana do Castelo tem vindo a desenvolver um conjunto de atividades com vista à promoção da coesão social e interculturalidade, das quais se destacam as aulas de língua portuguesa, ministradas semanalmente. Destinam-se a qualquer cidadão estrangeiro que pretenda aprender ou aperfeiçoar a língua portuguesa e conhecer Portugal e a sua cultura.


As aulas têm a duração de 2 horas semanais e funcionam durante o período escolar normal (de setembro a junho), com interrupção nas férias de Natal, Páscoa e Verão. A iniciativa municipal conta com parceria dos Serviços Sociais dos Trabalhadores Municipais de Viana do Castelo, Escola Secundária de Monserrate e Escola Secundária de Santa Maria Maior para cedência de espaço para a concretização das aulas.


Recorde-se que, em 2018, a Câmara Municipal de Viana do Castelo criou um Plano Municipal para a Integração dos Migrantes (PMIM) 2018-2020 como forma de valorizar e consciencializar a comunidade para este tema, com o objetivo de acolher e integrar, promovendo a interação de culturas.


De acordo com o Plano Municipal, o concelho de Viana do Castelo acolhe um número relativamente expressivo de nacionais de países terceiros que, pela diversidade de nações que representam e consequente diversidade cultural, desde a primeira década deste século, tem vindo a desenvolver uma política de acolhimento direcionada a esta população.


O PMIM está orientado para dar resposta a objetivos estratégicos gerais para treze áreas de intervenção, mas a dimensão estratégica do plano centra-se nas áreas “Acolhimento e Integração”, “Mercado de Trabalho e Empreendedorismo”, “Cultura”, “Cidadania e Participação Cívica”, por se considerar que são as áreas que mais contribuem para o fomento da coesão social, do diálogo intercultural e do sentimento de pertença, essenciais para garantir a dignidade humana e fundamentais para a concretização efetiva das políticas de acolhimento e integração dos cidadãos Nascidos em Países Terceiros (NPT).


Conduzir ao aumento da taxa de empregabilidade dos cidadãos NPT; incrementar os níveis de conhecimento e o domínio da língua portuguesa; criar condições para o aumento da formação e capacitação, promover a aquisição de novas competências, assim como potenciar e reforçar relações dos cidadãos NPT com a comunidade de acolhimento, são também propósitos deste Plano.