Página Inicial > Notícias > “À Conversa...Municipal

“À Conversa com…” Júlio Machado Vaz e Inês Meneses a 8 de fevereiro na Biblioteca Municipal

05 Fevereiro 2019

Esta sexta-feira, 8 de fevereiro, a Biblioteca Municipal de Viana do Castelo acolhe um “À Conversa com…” com Júlio Machado Vaz e Inês Meneses, às 21h30. Os convidados vão apresentar o livro “O Amor É”, que resultado do programa de sucesso da Antena 1, com o mesmo nome.


A obra surge em consequência de um dos mais antigos programas da Antena 1, emitido já há 15 anos. Júlio Machado Vaz é um psiquiatra de grande prestígio, reconhecido por ter sido o primeiro especialista a abordar de forma clara e consistente temas ligados à sexualidade na comunicação social. A comunicadora Inês Meneses é uma das radialistas de maior notoriedade no país e, além de ser voz da Radar, colabora com meios importantes, como a Antena 1, o Expresso ou a SIC Radical. A obra tem prefácio de Manuel Sobrinho Simões, reconhecido em 2015 como o mais influente patologista do mundo.


Na sinopse, surge uma pergunta sobre o que une Carlos Tê, Jacques Brel, Rui Reininho, Sérgio Godinho, Fausto, Leonard Cohen, Amalia Bautista, Hanif Kureishi, Serge Reggiani e Samuel Úria? Neste livro, canções e poemas de todos eles servem de mote a conversas inéditas – feitas propositadamente para memória futura – entre Júlio Machado Vaz e Inês Meneses, ao estilo do icónico programa de rádio que partilham na Antena 1.


Neste “O Amor É”, com o suporte da comunicadora Inês Meneses, o médico psiquiatra Júlio Machado Vaz conduz o leitor por temas que a todos interessam: as paixões adolescentes, os amores adiados, os eficazes e os impossíveis, o alargamento da adolescência, a nostalgia da paixão, a inversão dos estereótipos culturais, a obsessão pela infância e pela morte, a omnipotência do teclado, as recordações amargas, a culpa judaico-cristã, os homens sós que hoje cozinham, a apologia do engate, a monogamia, as implicações da internet nas relações, as pessoas certas e as pessoas erradas (que por vezes se buscam), as separações e os divórcios, a ligação com os filhos, as compensações, os equilíbrios e as asneiras, a maturidade sexual dos homens, a disfunção erétil, o pecado de ser mulher, a homossexualidade hoje e na Roma Antiga, a coabitação que não garante o amor, a casa própria que não o nega, os lutos das relações passadas, entre muitos outros.