Página Inicial > Notícias > 11ª edição...Mundos”

11ª edição dos Contornos da Palavra decorre até 6 de março com o tema “Mais Mundos”

02 Março 2020

Até 06 de março, está a ser promovida a 11ª edição dos Contornos da Palavra, tendo como tema principal “Mais Mundos”. A iniciativa da Câmara Municipal de Viana do Castelo chega a milhares de estudantes do concelho vianense, desde o pré-escolar aos alunos do 12º ano de escolaridade, e visa marcar um universo de reflexão em torno da palavra centrada em grandes temáticas da literatura, estimulando a leitura e a escrita, a partir da partilha de uma reflexão construtiva e da necessidade de mais e melhores leitores.


A programação dos Contornos da Palavra contempla a dinamização de sessões nas escolas do concelho com a presença de diversos escritores e ilustradores. Ao longo desta semana, terão ainda lugar momentos de animação da leitura, sessões de teatro e de poesia, contadores de histórias e workshops de dança, escrita criativa e ilustração. Na presente edição, estão ainda a ser abordados temas que passam pelos 200 anos de nascimento de D. Maria II e os 500 anos de circum-navegação de Fernão Magalhães.


A 20 de janeiro de 1848, a vila de Vianna foi elevada a cidade de Viana do Castelo, como reconhecimento aos vianenses pela forma como defenderam o Forte de S. Tiago da Barra e pela lealdade com Sua Majestade, D. Maria II. Tendo o monarca nascido a 4 de abril de 1819, nesta edição festeja-se também o bicentenário do seu nascimento e recorda-se a dedicação do seu reinado à educação, à cultura e à arte. Assim, o programa dos Contornos da Palavra abre-se a novos mundos, procurando novas convergências e articulações e propondo a todos os alunos das escolas do concelho de Viana do Castelo uma reflexão sobre o presente e o futuro, dialogando com o passado.


Esta segunda-feira, 2 de março, as Sessões para Professores vão contar com a presença de Ana Margarida Oliveira, jornalista da RFM e escritora, e Alexandra Esteves, da Universidade Católica Portuguesa, numa sessão dedicada a debater “[No século XIX] A Cidadania Ativa era vedada à esmagadora maioria das mulheres, relegadas para os meandros da domesticidade”, de Catherine Hall.