Página Inicial > Agenda Cultural > Dança: "Da...um Milagre"

Dança: "Da Insaciabilidade no caso ou ao mesmo tempo um Milagre"

Dias 25 e 26 de outubro, a  Nuisis Zobop - Associação Cultural leva ao palco do Teatro Municipal Sá de Miranda o espetáculo de dança Da Insaciabilidade no caso ou ao mesmo tempo um Milagre”.

Dia 25 de Outubro (sessão para escolas), às 16h00. 
Dia 26 de Outubro, às 21h30.

ORGANIZAÇÃO: Nuisis Zobop - Associação Cultural

Os bilhetes para o espetáculo (dia 25 outubro – sessão para as escolas e 26 de outubro para o público em geral), estarão à venda a partir do dia 19 de outubro.
LOCAL DE VENDA:

Teatro Municipal Sá de Miranda:
Segunda a sexta-feira: das 9h00 às 19h00
Dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00
Sábado e domingos em dias de espetáculos: 2 horas antes.

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: M/16 anos
CUSTO DO BILHETE: 5€
NOTA : Aceitam-se reservas de bilhetes, unicamente, para o email: tmsm@cm-viana-castelo.pt.
Prazo de levantamento de 24 horas, caso contrário a reserva ficará sem efeito.


SINOPSE:
"O elemento de aglutinação decisivo para o processo de criação é Almada Negreiros: "Saudade é a masturbação passiva dos que não sabem que a Natureza é suficientemente variada para que não haja necessidade de voltar atrás. A Velocidade move-se por entusiasmo e nunca descarrila da Felicidade". Com Almada associamos o Maximalismo com Dadaísmo e Surrealismo, com "a velocidade", a sofreguidão de ser, de incluir e de conjugar: "A eternidade existe sim, mas não tão devagar". A criação parte de Almada, da sua velocidade em despertar cérebros no corpo, a irrepetível orquestra do novo que se consome correndo, em máximas aspirações que recusam o mínimo denominador comum. Simultaneidade, velocidade, incongruência com o exclusivo, assimilação e sobreposição, conduzem ao maximalismo em associação com a eternidade rápida e urgente de Almada e unem com o gesto, mais que com a teoria, de atos dadaístas e surrealistas de hibridismo de linguagens e de espontaneidade. A opção artística é focada no excesso, na sobreposição de padrões, na associação de elementos dispares, no sem sentido, não discursivo, não demonstrável. Na multíplice experiência do irrepetível. No labiríntico de geometrias mutáveis, jogo de espelhos sem imagem original e primeira, velocidade e paradoxo, de disjunção em disjunção conjugando o aparentemente incongruente e não assimilável."
HCC & JvMT


Ficha Artística
Direcção e Coreografia: Hugo Calhim Cristovão & Joana von Mayer Trindade | Interpretação:Ana Rita Xavier, André Mendes, Francisco Pinho e Joana von Mayer Trindade | Teoria e Filosofia: Ana Mira, Celeste Natário, Claúdia Galhós, Claúdia Marisa, Eduarda Neves e Hugo Calhim Cristovão | Música: Paulo Costa | Figurinos: UN T | Desenho de Luz: Sérgio Julião | Design: Hugo Santos | Produção: Sofia Reis | Vídeo: Andrea Azevedo | Fotografia: Susana Neves | Apoio à Internacionalização: Fundação Calouste Gulbenkian | Co-produção: Teatro Municipal do Porto | Projecto Financiado por: República Portuguesa - Cultura, Direcção Geral das Artes e Fundação GDA | Residências Artísticas: Circolando, Companhia Instável, Centro de Criação do Candoso (Guimarães), Teatro Municipal do Porto e CN D Paris

Informações
Evento
de 25 de Outubro de 2017
a 26 de Outubro de 2017
Teatro Municipal Sá de Miranda
258 809 382
Rua Sá de Miranda
4900-529 Viana do Castelo